24 julho, 2010

Khalil Gibran provocando conversas no orkut sobre a liberdade e suas decorrências




ÉS LIVRE...

És livre na luz do Sol
e livre ante a estrela da noite.
E és livre quando não há sol,
nem lua ou estrelas.

Inclusive, és livre quando fechas os olhos
a tudo que existe.
Porém, és escravo de quem amas
pelo fato mesmo de amá-lo.
E és escravo de quem te ama,
pelo fato mesmo de deixar-te amar

Khalil Gibran 



Desta postagem, realizada ontem no orkut,
resultou essa animada, inteligente, brincalhona, 
criativa e singular conversa poetante, 
entre eu e meu amigo Carlos Tenreiro, 
o poeta solar dos ventos:
.........................

*Sou livre quando sou o sol. 
E minha liberdade, assim nas chamas, 
se ajoelha perante os campos onde
 me dissemino.
Abraços alados, Cesar. 

- Mui belo, Carlinhos.

Sempre inspirado!
Quando não são os ventos, é o sol!
Quando não são os alados vôos, são
as planícies verdejantes!
E assim vai me deixando encantado.
Tal qual o girassol, vai se movendo
e nos deixando da sua poesia desejantes! 

*Não, Cesar.
 Você está ERRADO. 
O encantado aqui sou eu. 

- Errado o encantado.
Se dos seus versos sou privado
Fico triste e deplorado
Mas valeria estar desavisado
Do que esperar o poeta ficar inspirado

*Seus "ados" rimados me fazem imantados. 
Permaneça aqui, Cesar, seja 
em meus silêncios 
ou em minhas sinfonias, 
florescendo assim meus descampados. 
Abraços alados do Carlos. 

- kkkk
Ki bu ni ti nhuuuuuuuuu 

*srsrsrsrsrsrssrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs
Né, não? Brados bunitinhos 
para um amigo florindo. 
Felicidades! 

- Florindo
viu
a lua
dormindo
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

*Despetalaria
o sol agora
para vê-la em lua.
Quanto à lua, sol despetalado,
Acordaria os lírios
E floriria novamente o dia. 

- Lírio
que colírio.
Seus versos são um delirio!

A lua, agora adornaria
para vê-la sol.
Quanto à noite, não me importaria
já que o jasmim igualmente floriria.

*Cesar poetiza
Nessa noite em que o sol delira
Breus de alvorada.
Belo é ver, nesse leves da noite
Um touro pegar da lira
E tocá-la como se o dia fizesse brisa
Da densa pele desse touro mítico.
Touro e lira, músico e sinfonia 
fazendo nova constelação
Acordes do infinito. 

- Sem condições de prosseguir
nessa prosa de autoria
não sendo poeta, só sei devir
e no sono que se anuncia
entregar-me-ei com alegria
na esperança de um outro dia
seus versos novamente ouvir 

rs
Entregue-se aos sonhos 
em seu despertar de flutuações. 
Boa viagem. Retorne, please. rs 

...............................

Moral da história:
Para quem acha que na internet, no geral, 
e no orkut, no particular, 
tudo se cola e se copia... está enganado.
Ainda existe a possibilidade de criar, 
inventar, brincar 
e se divertir com companhias 
genuinamente singulares. 
Escolhidas a dedo, claro!
Algumas dessas brincadeiras, conversas,
duetos e trocas  estão aqui pelo blog.
Meu carinho e agradecimentos ao Carlos,
 também conhecido como Pégasus; 
à Kátia, a Kaká, a leitora 
e comentarista-mor;
 à Cida, a Gaiô, poeta inspiradíssima;
à Flor; à Lenise, a maga dos scraps;
à Amália Catarina; à Luna, 
outra inspirada orkuteira.
Todos esses "monstros sagrados" 
estão usando a versão antiga do orkut.
Como eu. 
Felizmente..
Que possamos continuar usando-o 
e nos beneficiando 
dos recursos que ele dispõe 
e que não necessitam de ajustes "beta."
A não ser os que são somados a ele, 
mas não os que pretendem desativá-lo.




3 comentários:

Cida Gaiofatto disse...

Meu amigo querido, e diante das bendições da vida, esta liberdade querida e tão bem promovida por quem sabe congraçar...E você o faz tão bem...Meu carinho...Beijos alados. GaiÔ.

Flor ♥ disse...

Olá, meu querido!

Sabe, estou passeando por aqui hoje atrás de um post seu que falava sobre o exposição das pessoas no Orkut... e estou me deliciando com outros posts!

Beijos!

Cerikky.. Cesar Ricardo Koefender disse...

Que legal, minha Flor.
Sempre que sentir vontade e tiver um tempo... volte.
Você é muito bem vinda aqui, sempre.
Um beeeeijo.