04 dezembro, 2008

Amar é... falta e presença



"Amar é dar o que não se tem,
a quem não o quer."
(Lacan)
...........

E assim descansam os dois amantes
um ao lado do outro. A quietude paira
sobre sua morada; anjos serenos,
seus afins, olham-nos do espaço.
E que momento feliz aquele
em que, um dia, despertarão juntos!

Goethe
(Epílogo de "Afinidades Eletivas")

...........................................................................

Essa frase famosa e polêmica do Lacan,
foi dita de outra forma por uma psicanalista
chamada Ângela Brasil (ou bandeira, não lembro):

"Amar é dar o que não se tem
para quem não é o que a gente pensava!"

Em ambas, aparece claramente a noção "da falta"
- a castração - e evidencia o amor idealizado,
aquele que a gente, sem sentir,
inventa para aprender a amar.
Uma loucura...
Acontece "nas melhores familias"! ... kkkkk

Mas, existe uma outra possibilidade, trazida,
por exemplo, pela esquizoanálise,
onde o amor e seus excessos, que a gente TEM
- e, portanto, não evidenciam nenhuma falta - transbordam...
e também nos ensinam a amar... a semelhança e a diferença.
Nesse caso é A PRESENÇA (do amor: egoísta,
narcisista e/ou solidário) que nos coloca
...em situação de aprendizagem!


Um comentário:

Priscila Lisboa disse...

"Acontece nas melhores familias"
[2] =p