21 janeiro, 2009

O que a química tem a dizer sobre os nossos problemas?




Por vezes nos sentimos num emaranhado de experiências que nos retiram a confiança, o amor e a aposta que fazemos nas pessoas e na humanidade como um todo. Muito ruim sentir isso.... e parece que ainda vai ficar pior!

Sim... são os descompassos e quedas que sofremos.
Esses sentimentos podem estar sedimentados sobre experiências reais e concretas com pessoas que nos magoaram, traíram, enganaram e usaram... sem o nosso consentimento explícito... mas de alguma forma, com a nossa concordância tácita, nós possibilitamos isso... quer por querermos muito bem as pessoas em questão, quer por querermos ser educados... e assim por diante. É preciso por um basta nisso!

Acreditar no ser humano é uma aposta sempre renovada e nunca terminada, já que todos somos falhos. Acreditar que nunca seremos ofendidos, traídos, enganados ou desrespeitados é uma ilusão... uma auto-ilusão que é des-confirmada pelo comportamento do outro.


Acho importante nos darmos o direito da saída... de irmos embora quando as coisas estão muito ruins e estamos sofrendo. É importante recolher-se a própria "significância" e valorizar o que se sente, mesmo que seja falta de fé nas pessoas... e deixar passar... passar dentro da gente mesmo... por que talvez... fora, não mude.


As pessoas tendem a querer ter a razão em tudo, mesmo quando percebem que estão erradas... ego e egoísmo!
Nós também... queremos ter razão... e com isso nos machucamos mais ainda!

Abrir mão do uso exclusivo e limitante da "da razão" e de ter a razão em algo, nos permite avaliar os acontecimentos de uma perspectiva mais ampla... no seu devido tempo... um dia, uma semana, um mes depois... e ao longo desse tempo... novas fichas vão cair... o tempo não existe, mas se mede em minutos!
Querer retomar a confiança nas pessoas "já agora nesse minuto" quando se está sofrendo... é uma tentativa fracassada... precisamos DE ESPAÇO para nós mesmos percorrermos esse Tempo e ... bem, chegarmos às nossas conclusões.

Apostar na auto-confiança, nos próprios sentimentos e nas próprias percepções é inadiável nesses momentos... e possibilita colocar limites para "esse estado das coisas"... e seguir em frente.


Não há dor e mal que durem para sempre. Até a pior das tempestades termina, e começa um novo momento de calmaria: momento de ver os estragos... e continuar.

Uma atitude reverente é aquela em que conseguimos olhar para os acontecimentos, por melhor ou pior que tenham sido, sem apego, e considerar que o acontecido está nos comunicando algo muito importante acerca de nós próprios e de como funcionamos em nosso cotidiano e em nossas relações.

Sempre temos a possibilidade de crescer como seres humanos e aprender coisas inéditas que julgávamos inexistentes ou impossíveis. Reverencie o que você sente, percebe e aprende consigo e com os outros... porque esse é um caminho libertador.

Recentemente, conversando com uma pessoa que trabalha em grande e prestigiado laboratório de análises químicas, e com formação específica para tal... ela me contava que estava pensando em fazer uma pesquisa sobre " o tempo de validade das soluções...".

Fiquei encantado!

Trazer esse texto para o que me interessa, a filosofia e a psicologia, mostrou-se... salutar!


Fiquei indagando sobre o tempo de validade das soluções que temos utilizado para resolver nossa vida, nossos conflitos e nossos problemas... por mínimos ou "máximos" (rsrsrsrs) que sejam: será que ainda estão válidos? Qual o seu tempo de validade?


Tem uma propaganda que fala em soluções antigas para problemas novos - ênfase no passado e no que já mostrou eficácia... no passado! Seria o caso, agora, de perguntar... e soluções novas para problemas antigos, quais são?


Sim, porque facilmente ficamos presos e, teimosamente, tentamos resolver tudo "do nosso jeito... (velho)" e pouco espaço (e tempo!) damos ao que é novo EM nós... ao que pede passagem POR nós, através de nós... no presente.

Com certeza, ouso afirmar, já há soluções que demos e damos aos nossos problemas, dificuldades, conflitos que estão com o prazo de validade esgotado. Precisamos criar, inventar e desenvolver outros..................... novos!

Nessa maravilhosa conjunção de fatos, textos e contextos que é a vida... vamos misturando amores como se fossem cores, misturando sabores como se fossem amores... e nessa mistura maravilhosa... chega a hora de saber... separar!

Sigamos em frente... pois o mundo é muito grande e a vida muito pequena para ficarmos parados!

Sigamos em frente porque o mundo (a Terra, o "nosso" mundo, quando situado na imensidão do cosmos)
é muito pequeno e a vida é muito grande... temos tudo por fazer... ainda é possível... sempre é possível... tentar!




Link relacionado:

http://psicologiaevidalivres.blogspot.com/2008/11/o-prazo-de-validade-das-solues.html#links


Um comentário:

rose disse...

Acreditar no ser humano é uma aposta sempre renovada e nunca terminada, já que todos somos falhos. Acreditar que nunca seremos ofendidos, traídos, enganados ou desrespeitados é uma ilusão... uma auto-ilusão que é des-confirmada pelo comportamento do outro.

Estava passeando por aqui!!Rs

Estamos sempre correndo o risco..
Mas mesmo assim somos dependente do outro..Queira ou não...

10!!!Para esse texto